Galpão e terreno em Cotia com 18.892m²

Galpão e terreno em Cotia com 18.892m²

Dê seu lance
Galpão
2ª Praça
Valor do bem
R$ 11.617.041,60
Lance Inicial
R$ 1.100.000,00
Último Lance
R$ 0,00
Incremento
R$ 10.000,00
Localização
Cotia/SP
Data de abertura
03/03/2019 17:00
Data de Encerramento
29/03/2019 17:00
107
0

Encerra-se em

  • 6 Dias
  • 16 Horas
  • 49 Minutos
  • 15 Segundos

Galpão e terreno na Rua Itafarma, nº 88, Cotia/SP,  descrito na Matrícula 60.208 do CRI/Cotia, com  área construída  de aproximadamente 4.660,00 m² e terreno com  18.982,00  m², Contribuinte 23251.43.08.0001.00.000

Edital para intimação e venda em  praça “ÚNICA”,  de bem imóvel por proposta a ser efetuado diretamente no sistema gestor, www.leilaobrasil.com.br e para conhecimento de interessados e do público em geral, expedido nos autos do processo 0126000-12.2006.5.02.0242, que o reclamante: EDMAR JOSÉ DA SILVA, CPF: 105.026.798-24, move em face do reclamado: ITAFARMA IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA., CNPJ: 00.743.056/0001-36, na pessoa de seu representante legal e outros, bem como, do credor hipotecário Banco Santander Brasil S.A, CNPJ: 90.400.888/0001-42, na pessoa de seu representante legal (incorporadora do Banco Sudameris Brasil S.A)

 

 

A Dra. Anna Carolina Marques Gontijo, Juíza do Trabalho do Juízo Auxiliar em Execução do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, na forma da Lei, etc.
 
FAZ SABER que, o leiloeiros oficial, Sr. IRANI FLORES, JUCESP 792, levará à leilão público para venda e arrematação, no local e hora descritos no site, com transmissão ao vivo pela internet e disponibilização imediata no portal de leilões eletrônico, www.leilaobrasil.com.br para lances pela internet: Do Início e Encerramento do Leilão: Início em 28/02/2019 às 17:00 horas e  encerramento em 29/03/2019 às 17:00 horas. Avaliação R$ 11.617.041,60 (onze milhões e seiscentos e dezessete mil e quarenta e um reais e sessenta centavos). O maior lance e condições ofertado diretamente no sistema gestor, será submetido para apreciação e decisão do MM. Juiz após o encerramento previsto acima. Bem: Galpões e terreno descrito na Matrícula 60.208 do CRI/Cotia, com área construída de aproximadamente 4.660,00 m² e terreno com área de 18.982 m², correspondente ao remanescente do imóvel a seguir descrito, já considerada a DESAPROPRIAÇÃO feita pela Prefeitura Municipal de Cotia/SP. Contribuinte 23251.43.08.0001.00.000-1. Descrição: Galpão na Rua Itafarma, n° 88, no município e comarca de Cotia- SP, com as medidas e confrontações: Gleba D, no sentido de quem da Via Raposo Tavares, km 30, principia suas divisas no ponto A, situado a margem direita da Estrada Velha de Cotia, fazendo divisa com a propriedade da Têxtil El Di Benjamim Abade El Di e irmãos. Deste ponto segue em linha sinuosa acompanhando o traçado da Estrada até alcançar o ponto F2, com uma extensão de 149,49m, confrontando-se com a referida Estrada Velha de Cotia; deste ponto, localizado à beira do caminho de Servidão 1, deflete à direita e deixando a margem da Estrada, segue em reta com rumo SW06°03'NE e extensão de 149,90m,até o ponto F3, confrontando-se com o referido caminho de Servidão 1, daí deflete à direita e segue em reta com rumo NW83°07'SE, e extensão de 173,50m até o ponto F4, confrontando-se com o Caminho de Servidão 2; deste ponto, deflete à direita e segue em reta com rumo de SE11°35'NE, à distância de 40,50m, até o ponto D4, confrontando-se com a Gleba B, pertencente à João Batista Coelho, José Casemiro Coelho, Luiz Fernando Pimentel, Teru Pimentel e Ferraretto S/A Administração e Participações; deste ponto, deflete à direita e segue em reta com rumo SW65°45'NE à distância de 25,70m até atingir o ponto M; deste ponto, deflete à esquerda, e segue por um valo com a extensão de 79,45m, e rumo SW08°32'NE, até encontrar o ponto A, confrontando-se do ponto D4 ao ponto A com terras da Têxtil El-Di, BenjamimAbadi Eldi e Irmãos, sendo este ponto a origem desta descrição e onde fechou-se o perímetro com a área total de 21.432,40m². Ressalva: Despacho do MM. Juiz, o imóvel objeto da alienação judicial não levará em conta a área envolvendo a Escola Municipal Honório de Sylos (2.450m²). Conforme certificado pelo Oficial de Justiça, em diligência ao local constatou-se que: O terreno está dividido em três áreas divididas por muros. 1) Na área 1 existe um prédio de aproximadamente 1.800m² construídos, em bom estado de conservação, composto por três pavimentos. 2) Na área 1 também se encontra uma escola municipal. 3) A área 2 não possui qualquer construção. 4) Consta na área 3 a edificação de cinco galpões industriais, numerados para fins de avaliação de 01 a 05; Os galpões 1 e 2 possuem aproximadamente 500m² de área construída cada um, se encontram em péssimo estado de conservação, e sua área construída é composta somente de uma estrutura metálica coberta por telhas, não havendo paredes; O galpão 3 possui aproximadamente 500m², é constituído de uma estrutura metálica coberta por telhas e revestido parcialmente por paredes de blocos de concreto, estando inacabada e em péssimo estado de conservação; O galpão 4 possui aproximadamente 500m², estando a construção finalizada e em razoável estado de conservação; O galpão 5 é composto por dois pavimentos de 360m² cada um, cuja construção também está finalizada e em razoável estado de conservação.  DO ÔNUS: Consta no R.10 da matrícula, a hipoteca de 1° grau do imóvel em favor do Banco Sudameris Brasil S/A. Consta no R.11 da matrícula, a hipoteca de 2° grau do imóvel em favor do Banco Sudameris Brasil S/A. Conforme a R.12, o imóvel foi penhorado no processo n° 0186200-48.2007.5.02.0242 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a R.13, o imóvel foi penhorado no processo n° 01858-2007-242-02-00-1 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme o R.14, o imóvel foi penhorado no processo n° 02308-2007-242-02-00-1 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme o R.15, o imóvel foi penhorado no processo n° 02268-2007-242-02-00-1 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme o R.16, o imóvel foi penhorado no processo n° 02518-2007-242-02-00-1 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme o R.17, o imóvel foi penhorado no processo n° 01960-2007-242-02-00-1 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme o R.18, o imóvel foi penhorado no processo n° 02012-2007-242-02-00-9 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme o R.19, o imóvel foi penhorado no processo n° 00560-2007-242-02-00-1 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme o R.20, o imóvel foi penhorado no processo n° 02446-2007-241-02-00-1 da 1ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.21, o imóvel foi penhorado no processo n° 0012727-55.2002.8.26.0152 do Serviço Anexo Fiscal da Fazenda Pública de Cotia. Conforme a Av.22, o imóvel foi penhorado no processo n° 0000699-16.2006.8.26.0152 da 2ª Vara Cível de Cotia. Conforme a Av.23, o imóvel foi penhorado no processo n° 0005442-45.2001.8.26.0152 da 2ª Vara Cível de Cotia. Conforme a Av.24, o imóvel foi penhorado no processo n° 01155-2004-242.02-00-2 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.25, o imóvel foi penhorado no processo n° 0126000-12.2006.5.02.0242 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.26, o imóvel foi penhorado no processo n° 0218500-29.2008.5.02.0242 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.27, o imóvel foi penhorado no processo n° 0218500-29.2008.5.02.0242 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.28, o imóvel foi penhorado no processo n° 00264-2009-242-02-00-1 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.29, o imóvel foi penhorado no processo n° 0001004-29.2012.5.02.0242 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.30, o imóvel foi penhorado no processo n° CP10000028-34.2014.5.02.0242 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Consta na Av.32, a averbação premonitória referente à distribuição do processo n° 2008.35.02.001873-2 da 2ª Vara Federal de Anápolis/GO. Conforme a Av.33, o imóvel foi penhorado no processo n° 492-20060 2 da 1ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.34, o imóvel foi penhorado no processo n° 1000119-30.2014.5.02.0241 da 1ª Vara do Trabalho de Cotia. Conforme a Av.35, o imóvel foi penhorado no processo n° 0001225-31.2016.8.26.0152 do Serviço Anexo Fiscal da Fazenda Pública de Cotia. Conforme a Av.36, o imóvel foi penhorado no processo n° 0009879-07.2016.8.26.0152 do Serviço Anexo Fiscal da Fazenda Pública de Cotia. Consta na Av.37, a indisponibilidade do imóvel no processo n° 0126000-12.2006.5.02.0242 da 2ª Vara do Trabalho de Cotia. Consta na Av.38, a indisponibilidade do imóvel no processo n° 0076100-70.2008.5.04.0004 da 4ª Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS. Consta na Av.39, a indisponibilidade do imóvel no processo n° 0063900-35.2001.5.18.0053 da 3ª Vara do Trabalho de Anápolis/GO. Do pagamento a vista: O arrematante deverá efetuar o pagamento do preço do bem alienado, no prazo de até 24h (vinte e quatro horas) após a homologação da proposta pelo Juízo, através de guia de depósito judicial em favor do Juízo responsável, sob pena de se desfazer a aquisição. Do pagamento parcelado: A forma de pagamento deverá ser feita por escrito na forma da decisão, Decisão: do MM. Juiz, somente será admitido parcelamento mediante pagamento de 30% à vista, no prazo de 24 horas a partir da homologação da proposta, e o restante em, no máximo, 10 (dez) prestações mensais, devidamente corrigidas pela taxa SELIC, na forma do artigo 245-B da Consolidação das Normas da Corregedoria deste Regional. Da proposta vencedora: No caso de igualdade no valor ofertado terá preferência a proposta que contemple pagamento à vista ou em menor número de parcelas. Do sigilo: A fim de garantir o sigilo das propostas, estas serão juntadas aos autos apenas após o término do prazo descrito no edital. Das penalidades pelo descumprimento das propostas: Não sendo efetuado o depósito da oferta, o sistema gestor comunicará imediatamente o fato ao Juízo, informando, também, os lanços imediatamente anteriores, para que sejam submetidos à sua apreciação, sem prejuízo da aplicação de sanções legais previstas no art. 897, do CPC, bem como impedimento  de participar  em  futuras  hastas  públicas  do  Tribunal  Regional  do  Trabalho  da  02ª Região, bem como ciência ao Ministério Público para apurar eventual existência de crime. Em caso de atraso no pagamento de qualquer das prestações, incidirá multa de 10% (dez por cento) sobre a soma da parcela inadimplida com as parcelas vincendas. O inadimplemento autoriza o exequente a pedir a resolução da aquisição ou promover, em face do adquirente, a execução do valor devido, devendo ambos os pedidos serem formulados diretamente nos autos da execução em que se originou a aquisição (art. 895, §4° e 5°, do CPC). Responsabilidade do arrematante: O imóvel será vendido em caráter "ad corpus" e no estado em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus do interessado, verificar suas condições atuais, antes das datas designadas para a alienação. As despesas e os custos relativos à transferência patrimonial do imóvel, correrão por exclusiva do arrematante. A aquisição de bem imóvel em processo judicial é originária, razão pela qual não há que se falar em responsabilidade do adquirente pelos débitos tributários que recaiam sobre ele, especialmente os de natureza "propter rem". Os eventuais débitos tributários incidentes sobre o bem apenas se sub-rogam no preço oferecido, observada a ordem  de  preferência.  Inteligência  do  §  único  do  art.  130, do  CTN, do § 1°, do art. 908, do CPC. Cotia/SP, 28/02/2019

 

Lances
Usuário Tipo Data Valor
Sem lances
Endereço

Av. Gáspar Vaz da Cunha, 258
Vila Prado, São Paulo - SP
02559-010


Copyright © Leilão Brasil 2019. Todos os direitos reservados.
Leilão Brasil